A Season 1 do Hero Academia RPG teve início! Você ainda não viu? Dê uma olhada clicando aqui!

1. PLUS ULTRA!
Olá herói! Ou seria você um vilão!? Bom, não importa, de qualquer modo você é bem vindo para juntar-se à nós! O Hero Academia RPG é um roleplaying game (jogo de interpretação) baseado na série Boku No Hero Academia escrita por Kōhei Horikoshi e publicada semanalmente na Shonen Jump. Aqui, você jogador poderá interpretar heróis, vilões e até mesmo assistentes, se assim for do seu desejo. Nosso foco é a diversão de todos os jogadores, ainda que tenhamos um sistema sólido de regras que devem ser lidas atentamente por cada um. Então, está esperando o que!?
BEM-VINDO!
 
FECHADO
NOVO TÓPICO
NOVA ENQUETE

 Yeva Dmytrova, [Double Account] Cheli

Nonkiller

「Porokh Zhelatyn!」

17 Anos

jogado por:

Nonkira

criado em:

13/05/2015

posts in-game:

15

Quote POST LINK 14/05/2018 (12:53) -
Yeva Dmytrova

Personalidade:

Carismática Tão carismática quanto o pai, Yeva consegue despertar admiração e interesse por ela com poucas palavras, as vezes até mesmo apenas através de sua aparência. Ela passa uma imagem e sensação de ser amigável, confiável, habilidosa, inteligente e legal, e com isso, encanta as pessoas de forma que não sintam tanta vontade de questionar ela, mas sim de segui-la.

Criativa Yeva pode até não ser nenhum gênio, mas a sua criatividade e raciocínio rápido não devem ser subestimados. Variando das ideias mais simples até as mais malucas, seja em combate ou mesmo para inventar histórias, a garota tem uma mente criativa e tanto.

Determinada Não apenas determinada, mas também muito paciente, Yeva pode se demonstrar inabalável em relação as suas ambições. Esperta e por vezes realista, ela não é teimosa a ponto de continuar quando está em desvantagem, porém, ela também não desiste em essência. Como ela procura enxergar de uma perspectiva mais ampla, ela é determinada a ponto de admitir uma derrota para ter outra chance no futuro.

Habilidosa Yeva pode não ter um vasto conhecimento ou experiência, mas ela é habilidosa com quase tudo aquilo que se presta a fazer. Ela não apenas aprende rápido, como tem uma mente afiada e intuitiva. Naturalmente, isso não quer dizer que ela aprenderia medicina avançada só de folhear um livro, mas com certeza ela faria uma sutura melhor do que qualquer outro novato.

Independente Desde pequena, Yeva sempre se virou muito bem sozinha, fosse suportando os problemas em casa ou ainda quando esteve sozinha na guerra civil. Ela não sente que precisa de amigos ou família, porém, isso não quer dizer que ela não veja utilidade em outras pessoas. O que ocorre é que Yeva tem problemas para formar laços reais com outras pessoas, o que fez com que ela se adaptasse de modo que não precisasse de ninguém, muito embora ela não veja problema em usar outras pessoas a fim de facilitar a própria vida.

Dissimulada Dmytrova fingiu ser normal a vida inteira. Quando criança, ela percebeu que não compartilhava dos mesmos pensamentos e sentimentos que os outros, então passou a imitar o comportamento deles na tentativa de não chamar atenção, afinal, era sempre um problema quando reportavam qualquer coisa para o seu pai. Com o tempo, Yeva foi aperfeiçoando isso ao ponto de conseguir passar pelas avaliações psicológicas de sua reabilitação, então se passar por uma pessoa normal durante qualquer contato social superficial é moleza para ela.

Egocêntrica Ela é extremamente egocêntrica, mas de uma forma igualmente reservada. Ela não deseja posições de destaque e não sente necessidade de mostrar que é melhor do que as outras pessoas, mas em sua mente, de forma até muito natural, ela já é o centro do universo e sente que é melhor do que qualquer um. Mesmo que alguém a supere em coisas específicas como, por exemplo, conhecimento, dons artísticos ou força, ela ainda se acha superior não por pensar que ultrapassa o indivíduo naquilo que ele é bom, mas sim porque ela acredita que tem controle sobre aquela pessoa. Curiosamente, é quando seu ego é ameaçado que ela se torna mais agressiva.

Infeliz Yeva é bastante infeliz e está sempre a procura de algo que traga constante felicidade a sua vida. Como ela é uma psicopata clássica, ela é capaz de conseguir amigos, atenção e favores com facilidade devido ao seu carisma, manipulação e falta de remorso, mas no fim, os seus relacionamentos são bem superficiais, não havendo qualquer qualidade neles. Desta forma, Yeva não consegue desfrutar de qualquer companhia, pois não forma vínculos sólidos com ninguém. Para demonstrar normalidade, ela finge que se diverte como qualquer pessoa, mas na realidade, Yeva só consegue ser feliz sendo egocêntrica, e não só isso, como ela também sente uma necessidade profunda de ser feliz o tempo todo, que é um dos seus gatilhos comportamentais.

Hipócrita Ela é uma tremenda hipócrita e não tem o menor peso na consciência por isso. Ela só tenta justificar as suas hipocrisias para manipular as pessoas, mas se ela é pega numa contradição ou mentira, ela apenas muda de discurso. No fim, não adianta muito tentar fazer ela admitir que é uma hipócrita, pois ela já sabe disso e simplesmente não se importa.

Passiva-Agressiva Engana-se aqueles que pensam que Yeva é cruel e violenta o tempo todo. Ela pode ser uma psicopata com gosto por crueldade, mas ela não é tão diferente de um gato alimentado que num momento ataca outro animal menor apenas por diversão e mais tarde ignora completamente o mesmo animal. Tudo depende da situação e do quão motivada ela se sente. As vezes ela se demonstra surpreendentemente calma e normal, enquanto em outros momentos ela é mais agressiva e incisiva, seja insultando os outros com sutileza ou ainda cumprindo o papel de assassina sádica.

Nonkiller

Persona:

Não há muito para se dizer sobre Nonkiller, pois Yeva nunca desenvolveu seu alterego após o incidente com o pai. Mesmo na guerra civil, Yeva nunca usou a transformação que deu origem a vilã. Deste modo, pode-se dizer que Nonkiller esteja sendo reservada para algo e que, por enquanto, Yeva não está disposta a investir em sua máscara.

Aparência:

Nonkiller possui a aparência de sua transformação completa. Uma mulher de corpo atlético e esguio, com 1,82 m de altura e que pesa 62 kg. A máscara que ela usa é na realidade o seu próprio rosto, assim como os quatro olhos são todos reais. As suas mãos possuem dedos longos e garras afiadas. O seu uniforme, especialmente feito para ela pela agência do pai, expande quando ela se transforma e combina com o seu tom de pele.

Chaotic Evil
Fama: 000% | Infamia: 000%
Neutral Evil
Fama: 000% | Infamia: 000%
HISTÓRIA!

Filha de um dos mais famosos heróis da Ucrânia, a vida de Yeva parecia ser perfeita, mas só parecia. O seu pai, Dmytro, mais conhecido como King of Hearts, era um grande símbolo nacional. Unindo a sua individualidade de super força, resistência e velocidade a sua boa aparência e carisma, ele era a definição de um verdadeiro super-herói. Entretanto...

A realidade dentro de quatro paredes era outra. O herói sem a máscara era um homem agressivo e impiedoso, cuja presença era motivo de constante terror para sua esposa, Maryska. Aliás, não só para ela, mas também para as duas garotas, Nataliya, enteada do herói e também a pequena Yeva, sua filha com Maryska.

A verdade é que nunca existiu amor no casamento entre Dmytro e Maryska, mas sim interesses em comum. Maryska, com a sua individualidade de regeneração celular, foi modelo a vida toda, mas com a chegada de Nataliya, o falecimento de seu ex-cônjuge e a idade, ela acreditava que uma nova união seria a única forma de garantir conforto para ela e sua filha. Um terrível engano.

Maryska era bela e apesar de estar afastada da carreira, ainda era lembrada, porém, não era isso que interessava Dmytro, mas sim a individualidade da mulher. A princípio, Maryska acreditava que era um casamento de individualidades, com a finalidade de gerar uma criança com ambos os poderes, mas estava enganada. A verdade é que Dmytro precisava de alguém que beneficiasse a sua própria individualidade e jamais, em hipótese alguma, denunciasse seus atos de crueldade.

O mundo conhecia King of Hearts como um herói de super atributos físicos, como se fosse uma capacidade constante e natural, mas não passava de uma grande mentira. Na realidade, a fonte de seus poderes era... a própria maldade; uma individualidade extremamente irônica para um herói licenciado, mas plausível para um mundo moldado por aparências e mentiras. Assim, tendo uma esposa que nunca precisaria ir ao médico e que jamais registraria qualquer lesão, Dmytro não precisaria mais recorrer a modos mais arriscados de manter seus poderes no auge.

Tudo parecia perfeito. Na frente das câmeras, eram uma família adorável. Nunca ninguém imaginaria o quão monstruoso era aquele homem, sempre tão carismático. Maryska era a única que poderia revelar ao mundo que por trás do herói, existia um vilão, mas ela nunca o fez, pois além de estar mentalmente condicionada a não desafiar o marido para não sofrer ainda mais agressões e injúrias, acima de tudo, ela temia o que ele poderia fazer com Nataliya e Yeva. Por isso, mesmo com toda a sua fragilidade e temor, de certa forma ela ainda protegia as suas filhas de corpo e alma, literalmente.

A união doentia entre agressor e vítima perdurou por anos. Maryska nunca permitiu que Dmytro encostasse um dedo em suas filhas, e com isso, garantiu a independência e maturidade de sua primeira menina que finalmente deixava a casa para viver longe. Maryska ficou feliz por Nataliya, mas sem o apoio da filha mais velha, ela não tinha mais em quem se escorar já que Yeva era pequena demais. Então, sem mais ninguém para compartilhar suas dores, o seu espírito e mente, já avariados, passaram a quebrar de vez. Sem forças ou esperança para escapar de sua tormenta de outra forma, Maryska tirou a própria vida.

Foi Yeva quem encontrou a mãe pendurada pelo pescoço, balançando sobre uma cadeira caída na cozinha. Foi um evento traumático. Foi horrível, mas aquilo era apenas o início de seu próprio inferno, pois ela, a pequena Yeva de 7 anos, serviria como sua substituta.

O funeral foi belo. O suicídio não pôde ser acobertado, mas a carta deixada nunca foi encontrada, tornando a sua morte um mistério. Dmytro, como o bom ator que era, chorou em frente as câmeras, comovendo todo o país pela sua perda. Já Yeva, em choque, sequer conseguiu lamentar, enquanto Nataliya, procurando evitar a farsa, não compareceu.

O plano original de Dmytro era usar Nataliya para recarregar os seus poderes caso algo acontecesse com Maryska, mas sem ela, sobrava apenas a indefesa garotinha de cabelos cor-de-rosa, cuja face, muito parecida com a da mãe, o deixava transtornado, já que a misteriosa morte de Maryska ameaçava sua carreira. No fim, Dmytro não via Yeva como sua filha. Ele era especialmente agressivo com ela, ainda mais depois que descobriu que a regeneração da menina era mais poderosa do que a da mãe.

Dia e noite, Yeva estava sobre constante tensão. O que ela sofria era demais para uma garotinha. Se ela olhasse o pai de um jeito que ele não gostasse, ele a machucava. Se ela não respondesse imediatamente, ele a machucava. Se ela tirava uma nota ruim na escola, ele a machucava. Se ela não deixasse a casa arrumada, ele a machucava. Se ela trouxesse uma amiga em casa, ele a machucava. Se ela risse de um programa de TV, ele a machucava e assim em diante. Todos os dias.

Yeva era considerada uma boa aluna na escola, mas tinha dificuldade em se socializar com os colegas, apresentava falta de empatia e não parecia gostar de animais. Conselheiros e professores não sabiam o que pensar. Ninguém desconfiava que ela sofria maus-tratos, pois ela não tinha marcas aparentes pelo corpo. Mesmo quando ela aparecia com um braço quebrado, a menina apenas mentia, dizendo que caiu sozinha e coisas do tipo. Ninguém sabia de nada. Ninguém exceto Dmytro, ela e... Nataliya.

Durou bem pouco, mas Yeva pôde desfrutar de uma vida normal por algum tempo, quando Nataliya, agora uma advogada, conseguiu provar a justiça os maus-tratos que sua mãe sofreu a partir de seus ossos, ganhando assim a guarda da irmãzinha e, consequentemente, arruinando a carreira do King of Hearts. Claro, Dmytro não deixou barato, não medindo esforços ou recursos para provar sua inocência, mas fosse ele ou não inocente, as pessoas nunca mais olhariam para ele como um herói, e essa foi a sua verdadeira ruína.

Yeva só passou cerca de um ano morando com Nataliya, que se preparava para casar com seu namorado, Ivan. Contudo, quando tudo parecia ir bem, a justiça determinou que era inconclusivo se Dmytro era ou não responsável pelas fraturas do corpo da esposa e que, portanto, Yeva deveria retornar a guarda de seu pai; um ato de pura vingança. Naquela noite, houve uma discussão, então uma briga. Dmytro não estava com sua individualidade carregada, logo não era mais do que um homem adulto normal, mas ainda assim, era forte o bastante para machucar Nataliya, que não queria ceder a irmãzinha.

Dmytro sufocou Nataliya com as mãos. A sua individualidade ficou mais forte. Ele não queria ter matado a garota, mas estava tomado pela ira e também pelo regozijo de sentir aquela força fluindo novamente em seu corpo depois de tanto tempo. Ainda sobre o corpo da mulher, ele pensava em como esconderia o corpo ou escaparia, quando se deparou com aqueles quatro olhos rubros sobre ele, tomados pelo ódio.

No dia seguinte, a notícia que se espalhou era de que o ex-herói Kings of Hearts havia ficado tetraplégico ao tentar proteger a enteada de um vilão. A suposta vilã, descrita por testemunhas como sendo uma mulher adulta, de máscara branca com quatro olhos e cabelos cor-de-rosa, ficou conhecida como Nonkiller, pois ambas as vítimas sobreviveram, embora a mulher estivesse em coma e o ex-herói afásico e paralisado.

Nataliya faleceu meses depois. Sem nenhum parente para cuidar dela, Yeva passou a morar em um orfanato ortodoxo. Por já ter 12 anos e sofrer crises perto de figuras paternas, nenhuma família se interessava por ela. As vezes ela visitava o pai no hospital que, embora não pudesse falar ou se mexer, entendia tudo o que ela dizia, sempre com uma expressão de terror no rosto. Era estranho, mas ele era a única família que ela ainda tinha, então por mais mórbido que fosse, era reconfortante ver o pai daquele jeito, com os papéis trocados.

Quando a guerra civil estourou na Ucrânia, Yeva ainda era uma criança. A princípio, não tinha nenhuma ligação com a sua história ou vida até aquele momento, porém, nem mesmo ela estaria isenta da guerra que se alastrava. Em meio as trocas de tiro e bombardeios, ninguém se importou muito em resgatar as crianças do orfanato. Felizmente, era nesse tipo de situação, onde a maldade impera, que a sua individualidade mais brilhava. Yeva não foi a única sobrevivente, mas separada dos demais, passou a viver sozinha na cidade em conflito.

No começo, Yeva estava por conta própria, mas ela meio que gostava daquele novo mundo. As regras eram muito mais simples. Ela só tinha que sobreviver, sem fingir sorrisos e normalidade. Se alguém a incomodasse, ela podia simplesmente eliminar o problema. Então ela passou um tempo sozinha, sem ter um lado na guerra, até que certo dia ela resolveu roubar suprimentos de um grupo de missionários ortodoxos. Mal sabia ela que eles eram um grupo de mercenários russos disfarçados e que estavam a serviço da resistência ucraniana. Yeva acabou capturada.

Recrutada pelos mercenários, Yeva tornou-se rapidamente uma criança soldado, parecendo até que havia nascido para aquilo. Ninguém entendia exatamente qual era a individualidade dela, mas ela era forte o bastante para sobreviver sozinha naquele inferno. O líder dos mercenários, um homem chamado Borislav Freindlich, era particularmente interessado nela. Borya, como o chamava, ensinou a menina técnicas de combate armado e corpo a corpo, os quais ela dominou rapidamente, pois era bastante aplicada e interessada naquilo.

Borislav sempre mantinha Yeva por perto, mas não era um relacionamento normal de mestre e aprendiz, tampouco de pai e filha. Outros mercenários diziam que ela era a "garota do Borya" em tom pejorativo, mas também não tinham esse tipo de relação. Na verdade, Borislav via Yeva como seu projeto pessoal, uma oportunidade de criar alguém que realizaria as suas ambições mesmo quando ele não estivesse mais vivo. Assim, Borya protegia a menina, mas também sempre ordenava que ela ficasse encarregada de executar ou torturar prisioneiros, além de sempre carregá-la ao lado durante momentos de combate.

No fim, nada dura para sempre. Um dia o grupo de mercenários acabou cercado. Em uma guerra onde as pessoas usam as suas individualidades indiscriminadamente, não existem heróis. Um a um, os mercenários foram mortos, até sobrar apenas Borislav e Yeva. Para salvar a garota, agora com 14 anos, ele atirou nela três vezes, apostando que ela não morreria graças a regeneração. Ela, sem entender o ato de suposta traição, não teve tempo de questionar, pois logo depois soldados entraram e mataram o russo.

Como Yeva estava baleada e era jovem demais para ser uma mercenária, os soldados imaginaram que ela era uma refém. Dias depois, quando ela acordou, perguntaram o que havia acontecido. Ela, depois de muito refletir, entendeu o último gesto de Borya e confirmou a suspeita errônea de que havia sido sequestrada, e com isso, recebeu passe livre para uma instituição reformatória, destinada a crianças vítimas da guerra. Lá ela foi mantida por 3 anos, até conseguir passar pelas avaliações psiquiátricas e ser liberada para iniciar a sua vida em sociedade.

Assim que saiu da instituição, uma das primeiras coisas que Yeva, fez foi procurar a agência de seu pai que, para a sua surpresa, havia se mantido muito bem no mercado graças aos produtos que eram vendidos até hoje com a face do herói e mártir, King of Hearts. Identificando-se como filha de Dmytro, ela foi prontamente atendida por Anton Leonov, o ex-agente de seu pai e atual presidente da agência. A reunião não foi exatamente breve e muito menos agradável, mas no fim tomou um rumo bastante inusitado, principalmente quando Yeva descobriu que ele havia colaborado para que ela fosse liberada do instituto.

Anton era o homem responsável por acobertar Dmytro desde muito antes de Yeva nascer. Fora ele quem arranjou o casamento entre Dmytro e Maryska, e acima de tudo, a ideia de usar Maryska e futuramente Nataliya também haviam sido dele, tudo para manter Dmytro no auge e assim faturarem cada vez mais com a agência. Yeva lembrava-se muito bem de Anton e sabia exatamente quem ele era, mas para a surpresa do homem, ela não estava lá por vingança, embora também não fosse por gratidão.

Houve um acordo naquele dia. Anton sabia das intenções de Dmytro naquela noite porque ele mesmo havia ligado para o agente dizendo que iria para pegar o que era dele, no caso, Yeva. Mais do que isso, Anton sabia que Yeva era a Nonkiller porque, mesmo que Dmytro não pudesse escrever ou falar, ele podia confirmar a identidade da vilã piscando, e foi o que ele fez, piscou duas vezes quando Anton perguntou se Nonkiller era sua filha. Por outro lado, Yeva também sabia de coisas que poderiam abalar aquela agência de forma irreversível, então fizeram um acordo: ambos manteriam sigilo em relação ao passado, Anton não revelaria a identidade da Nonkiller, Yeva não traria novamente a tona os crimes de King of Hearts e, por fim, ela teria direito a parte dos lucros da agência, recebendo o dinheiro sob o pseudônimo de Rosalyn Yevanova.

Atualmente, Yeva costuma viajar bastante, não por mero turismo, mas para encontrar um lugar que a satisfaça, onde possa ser quem ela realmente é. Ela não sente falta de Borislav ou mesmo de Nataliya, mas admite que gostaria de ainda estar em meio a guerra civil ucraniana, pois tinha autonomia e liberdade. A vida em sociedade tem se provado difícil para ela, mas ela gosta de testar os limites da sociedade. Solteira, ela nunca namorou ninguém em sua vida, mas também nunca demonstrou interesse. As vezes, quando confrontada com a oportunidade, ela reproduz o comportamento que seu pai manifestava em casa, especialmente quando em posição de poder, mas é esperta o bastante para se manter fora do radar de heróis ou da polícia. As suas práticas não são feitas exclusivamente sob a faceta de seu alterego, Nonkiller, mas ela acabou por adotar o codinome que, na realidade, é bastante hipócrita considerando que Dmytro é a única vítima que ela já deixou viver.

Atributos!

Nível: 1
Exp Comum Total Gasta: 10

Exp (Comum): 10 | Exp de Narrador: 0 | h.EXP/v.EXP: 0

Atributo
EXP Investida
Pontos Totais
Força
2 EXP
2
Precisão
0 EXP
0
Agilidade
3 EXP
3
Destreza
2 EXP
2
Vigor
2 EXP
2
Resistência
1 EXP
1
Controle
0 EXP
0
March of the Black Queen!
Pristino | Transformação

March of the Black Queen é o poder de aprimorar o próprio corpo na presença de pessoas igualmente más ou semelhantes a Yeva. Biologicamente falando, o cérebro da garota produz hormônios que aumentam a sua força, reflexos, regeneração, resistência e velocidade quando entram em sintonia com indivíduos marcados neurologicamente pela maldade. Quanto mais cruéis ou maus forem os indivíduos presentes, mais poderoso se torna o seu Quirk.

Segundo os mais recentes estudos da psiquiatria forense, anomalias no sistema límbico do cérebro, mais especificamente nas amídalas, apontam com precisão a tendência a maldade de uma pessoa. Basicamente, todo ser humano que pratica o mal sofre alterações neurobiológicas que facilitam atos de crueldade posteriores, como se a cada ato acostumassem ou treinassem o sistema límbico para serem mais maus, não sentirem empatia pelos outros e tampouco remorso pelos seus atos. Todo tipo de ato de maldade conta, mas existem vários níveis que separam um simples hábito de enganar de, por exemplo, um assassino em série. Além disso, existem pessoas que já nascem com tais anomalias, sendo portanto maus desde a concepção.

Em questão de aplicabilidade, o cérebro de Yeva reage a sistemas límbicos anômalos de forma constante e passiva, gerando reações bioquímicas por todo o seu corpo de acordo com o nível de maldade ou periculosidade sentido. Em termos simples, não é diferente de como algumas pessoas ficam mais fortes e rápidas com a adrenalina no sangue, seja por medo ou por raiva. A grande diferença é que Yeva é geneticamente projetada para suportar cargas muito maiores de hormônios simpaticomiméticos e manifesta raras combinações capazes de gerar metamorfose.

Vantagens:

  • A sua regeneração natural é acelerada de acordo com a qualidade e quantidade de pessoas más presentes. Ela não é instantânea, mas acelera exponencialmente cicatrização, combate a doenças, combate a envenenamento, regeneração tecidual de alguns órgãos e dentre outros efeitos naturais da biologia humana.
  • Ela pode se transformar na forma conhecida como Nonkiller para ocultar sua identidade. Além de ser mais alta e dotada de garras, Nonkiller não possui vantagens aparentes.
  • Ela consegue identificar quando pessoas más estão presentes e também consegue calcular com precisão o quão mau o indivíduo é, salvo algumas exceções como indivíduos com capacidades bioquímicas ou de manipulação sensorial.
  • O seu Quirk tem o potencial de multiplicar a sua força, regeneração, resistência e velocidade, podendo atingir níveis muito acima da média humana. Ela pode distribuir conscientemente os multiplicadores para, por exemplo, ter mais força física e menos resistência, mas além de exigir concentração, ela poderia acabar ferindo a si mesma por não resistir a própria investida.
  • Quanto maior for a maldade de cada pessoa por perto, mais forte o seu Quirk se torna.
  • Quanto mais pessoas por perto, mais forte o seu Quirk se torna. Isso inclui pessoas comuns, mas em menor escala.
  • Desvantagens:

  • A sua regeneração não inclui restaurar coisas incomuns para seres humanos como regenerar membros perdidos ou órgãos como coração.
  • Animais e outros seres sem sapiência não afetam o seu Quirk.
  • Ao atingir níveis elevados de força e velocidade, ela demora um pouco para se acostumar com as novas capacidades.
  • Ela não consegue identificar a partir de seu Quirk que tipo de maldade as pessoas ao seu redor cometeram.
  • Ela não consegue identificar com precisão quem são as melhores fontes de maldade no meio de multidões.
  • Pessoas consideradas boas ou comuns afetam o seu Quirk, mas não o bastante para atingir uma performance extraordinária.
  • Quando não há terceiros por perto, Yeva só conta com a sua própria maldade.
  • Árvore de Especializações

    Vazio

    Técnicas Interpretativas!

    Exemplo de Técnica 1 (não-verificada)
    Grade: F- até S+, pense se é a técnica mais forte do personagem, a mais fraca ou mediana e coloque um rank de acordo.
    Descrição da técnica interpretativa.

    Exemplo de Técnica 2 (não-verificada)
    Grade: F- até S+, pense se é a técnica mais forte do personagem, a mais fraca ou mediana e coloque um rank de acordo.
    Descrição da técnica interpretativa.

    Fama!

    Yeva Dmytrova

  • Américas
    Fama: 00% | Infamia: 00%
  • Ásia
    Fama: 00% | Infamia: 00%
  • África
    Fama: 00% | Infamia: 00%
  • Europa
    Fama: 00% | Infamia: 00%
  • Oceania
    Fama: 00% | Infamia: 00%
  • Nonkiller

  • Américas
    Fama: 00% | Infamia: 00%
  • Ásia
    Fama: 00% | Infamia: 00%
  • África
    Fama: 00% | Infamia: 00%
  • Europa
    Fama: 00% | Infamia: 00%
  • Oceania
    Fama: 00% | Infamia: 00%
  • Feitos

    Matérias: nenhuma

    Relacionamentos!

    Exemplo de Relacionamento 1 (NPC/Player/Grupo) | | | |
    "Frase do seu personagem que resuma a relação"
    Descrição do relacionamento.

    Exemplo de Relacionamento 2 (NPC/Player/Grupo) | | | |
    "Frase do seu personagem que resuma a relação"
    Descrição do relacionamento.

    Character Book

    Nome Completo: Yeva Dmytrova
    Ocupação: Civil

    Sexo: Feminino
    Nacionalidade: Donetsk, Ucrânia
    Aniversário: 19/11/2001 (17 anos)
    Altura/Peso: 1,68 m / 52 kg
    Tipo Sanguíneo: AB

    Signo: Escorpião
    Filme Favorito: Crimes Ocultos (Child 44)
    Música Favorita: Тінь Сонця - Громом і вогнем (Tin' Sontsya - Gromom i Vognem)

    Hobbies: Mobile Games, Origami
    Ocupações Secundárias: Assassina em série, criminosa de guerra e mercenária

    Trívia

  • O nome Yeva Dmytrova significa Eva, filha de Dmytro. O nome em si é uma referência direta a Eva bíblica, enquanto Dmytro é uma analogia a serpente de Gênesis.
  • O codinome Nonkiller é uma referência a personagem de mesmo nome do fórum Dusty Road e a classe do fórum Nonplayers.
  • O nome de sua individualidade é uma referência a música The March of the Black Queen da banda Queen.
  • A individualidade de Yeva consta em seus documentos e histórico como sendo regeneração acelerada, mas isso é apenas um dos efeitos de seu real poder.
  • Os nomes dos membros de sua família são referências cristãs. Dmytro ao mártir Demétrio, Maryska a Maria, Nataliya ao Natal e Yeva a Eva.
  • O pseudônimo Rosalyn Yevanova é uma referência a música Rosalyn de David Bowie e a Ulga Yevanova do filme Doce Trapaça. Ele também é uma referência a sua paleta de cores.
  • Os diversos hexagramas nos trajes de Yeva simbolizam a Estrela da Criação da Igreja Ortodoxa. O seu primeiro contato com o símbolo foi no orfanato ortodoxo em que esteve antes da guerra civil, porém, ele também fazia parte do uniforme dos mercenários que recrutaram ela, pois fingiam ser missionários da Igreja. Como Yeva era muito jovem e não podia se passar por missionária, ela nunca recebeu um uniforme oficial deles, mas passou a usar a sua própria versão personalizada anos depois.
  • Yeva costuma ser rejeitada por animais como cães e gatos. Ela finge não entender o motivo e não se importar, mas na verdade isso sempre a irritou.
  • Yeva deseja um mundo onde ela possa ser feliz sendo ela mesma, sem precisar esconder quem ela é ou se preocupar em ser pega. Se um dia ela acreditar que esse mundo não existe, ela com certeza tentaria criar um novo.
  • Yeva é uma reinterpretação da personagem de mesmo nome do fórum Nonplayers, criada em 13 de Maio de 2015. As semelhanças entre as duas são essenciais, mas a sua contraparte do Hero Academia RPG é bem mais madura por ser 2 anos mais velha. Além disso, o seu poder chamado de Gunpowder Gelatine, uma referência a música Killer Queen, não tinha o mesmo efeito que seu Quirk.
  • Yeva não atacou o próprio pai para proteger a irmã ou por vingança. O único motivo pelo qual ela reagiu foi porque ele ameaçava tirar sua liberdade e tomar algo que pertencia a ela.
  • Yeva nunca admirou nenhum herói. Ela acredita que todo herói esconde suas perversões, tal como Dmytro ou ela própria, mas isso é o mesmo que ela pensa de todo mundo.
  • Yeva nunca sentiu falta de sua irmã ou mãe, assim como não sente falta de viver com Nataliya. Por outro lado, ela sente bastante falta da guerra civil, embora não necessariamente de Borislav e dos outros mercenários.
  • Yeva se passa por uma jovem missionária da Igreja Ortodoxa que viaja constantemente de país em país, porém, isso não é apenas mentira, como ela sequer é uma devota.
  • Yeva sempre reproduziu o comportamento do pai, mas sempre foi discreta. Quando criança, ela sentia satisfação em torturar animais e mais tarde, na guerra civil, ela teve as suas primeiras experiências com seres humanos.
  • Quotes
    Justiça? Vingança? Nada disso me interessa. O que eu desejo é um lugar onde eu possa ser feliz fazendo aquilo que me dá prazer, livre e sem consequências. Com ou sem você, eu vou conseguir isso, então não é melhor que esteja comigo quando eu encontrar esse mundo secreto? ~Yeva Dmytrova para Anton Leonov Mesmo preso nessa cama para o resto da vida, você continua sendo um ícone para as pessoas. Você deveria me agradecer por eu não acabar com o pouco que te resta de dignidade, mas você não poderia mesmo se quisesse, não é mesmo? Bom, feliz dia dos pais, papai. ~Yeva Dmytrova para Dmytro
    Extra!

    Jogado por: @Cheli
    Tag: @Cheli II

    (FC1) Girls Frontline: Negev
    (FC2) ME!ME!ME!: Fallen Hana



    This post has been edited by Nonkira: 17/05/2018 (09:01)
    March of the Black Queen
    Pristino
    Transformação
    Post #6520

    Anos

    jogado por:

    Paprika

    criado em:

    posts in-game:

    0

    Quote POST LINK 16/05/2018 (13:55) -
    Olá @Cheli ! Parabéns pela segunda conta!

    Você já conhece o processo, então serei breve! Eu adorei a concepção da personagem, a ideia foi super original, a descrição está ótima e a história excelente, parabéns pelo esmero no desenvolvimento do personagem! Passando para a individualidade...

    QUOTE
    Quanto mais cruéis ou maus forem os indivíduos presentes, mais poderoso se torna o seu Quirk, podendo chegar a níveis sobre-humanos.


    Retire a parte de sobre-humanos, altere para níveis muito elevados ou semântica similar, e deixe claro que dependerá da capacidade da personagem (atributos).

    QUOTE
    Ela consegue identificar quando pessoas más estão presentes e também consegue calcular com precisão o quão mau o indivíduo é.


    - Acrescente: Com exceção de alvos que tem a capacidade de alterar a sua percepção ou mascarar os prórpios hormônios simpaticomiméticos.

    QUOTE
    O seu Quirk tem o potencial de atingir níveis sobre-humanos.


    Como é um mundo repleto de pessoas com capacidades e individualidades, o que podemos dizer o que é ou não é sobrehumanos com certeza? Evitamos essa nomenclatura de "sobre-humanos", sugiro que mude para niveis elevados, ou aprimorados, etc. Aqui especificamente você see refere ao seu potencial físico certo? Acho bom deixar explícito também.

    QUOTE
    Quanto mais pessoas por perto, mais forte o seu Quirk se torna.


    - Aqui não seria quanto mais pessoas cometendo maldades, ou mais pessoas más? Se a personagem estiver num lugar com muitas pessoas realmente boas isso será válido também?

    - Coloque a explicação da sua regeneração nas suas vantagens.

    Qualquer dúvida é só me avisar!
    http://files.jcink.net/uploads/heroacademiarpg/Emotes/rakasmile.png

    This post has been edited by Paprika: 16/05/2018 (13:55)
    NERF HAMMER
    Pristino
    Post #6607

    Nonkiller

    「Porokh Zhelatyn!」

    17 Anos

    jogado por:

    Nonkira

    criado em:

    13/05/2015

    posts in-game:

    15

    Quote POST LINK 17/05/2018 (09:13) -
    Prontinho.

    Alterações:
    - Adicionei em vantagens a capacidade de redirecionar o boost para uma capacidade física em detrimento de outra com concentração.
    - Descrevi algumas exceções em relação a sua capacidade de sentir a maldade.
    - Descrevi em vantagens a regeneração natural acelerada.
    - Esclareci a questão de pessoas comuns também influenciarem os seus poderes em menor escala.
    - Incluí na trívia novas curiosidades e informações.
    - Substituí todas as menções a sobre-humanos.

    This post has been edited by Nonkira: 17/05/2018 (09:13)
    March of the Black Queen
    Pristino
    Transformação
    Post #6628

    Anos

    jogado por:

    Paprika

    criado em:

    posts in-game:

    0

    Quote POST LINK 17/05/2018 (11:18) -
    Bom dia @Cheli !
    Por mim a ficha está ok, aguarde um dos administradores dar a avaliação final! Beijos. ~
    NERF HAMMER
    Pristino
    Post #6629
    AdminLEVEL 99

    Anos

    jogado por:

    luke

    criado em:

    posts in-game:

    49

    Quote POST LINK 18/05/2018 (07:10) -
    Ficha aceita!

    Link: http://heroacademiarpg.jcink.net/index.php?showtopic=1235

    Sinta-se livre para ir em My controls -> Edit Profile Info e editar os campos a partir de nome do personagem para customizar o seu profile, incluindo a mudança da cor de barra e tudo mais que você tem direito!

    Abraço.
    Plot Device Techniques
    Pristino
    Emissão
    Post #6643
    1 User(s) are reading this topic (1 Guests and 0 Anonymous Users)
    0 Members:

    OPÇÕES DE TÓPICO
    FECHADO
    NOVO TÓPICO
    NOVA ENQUETE


     


     


    O Hero Academia RPG é um RPG baseado em Boku no Hero Academia, obra criada por Kōhei Horikoshi. O fórum não possui fins lucrativos.
    Custom Structures e buttons por Tigris. Imagens por artistas do Pixiv, Deviantart e Zerochan.