A Season 1 do Hero Academia RPG teve início! Você ainda não viu? Dê uma olhada clicando aqui!

1. PLUS ULTRA!
Olá herói! Ou seria você um vilão!? Bom, não importa, de qualquer modo você é bem vindo para juntar-se à nós! O Hero Academia RPG é um roleplaying game (jogo de interpretação) baseado na série Boku No Hero Academia escrita por Kōhei Horikoshi e publicada semanalmente na Shonen Jump. Aqui, você jogador poderá interpretar heróis, vilões e até mesmo assistentes, se assim for do seu desejo. Nosso foco é a diversão de todos os jogadores, ainda que tenhamos um sistema sólido de regras que devem ser lidas atentamente por cada um. Então, está esperando o que!?
BEM-VINDO!
Pages: (5) 1 2 3 ... Last » ( Go to first unread post )
RESPONDER
NOVO TÓPICO
NOVA ENQUETE

 [GLOBAL] Masquerade Ball, Cluj-Napoca, Transilvânia
AdminLEVEL 99

匿名の

pink matter

20 Anos

jogado por:

Anônimo

criado em:

23/12/2017

posts in-game:

78

Quote POST LINK May 7 2018, 02:38 PM -

???: Pode entrar, a festa está para começar. - Dizia o homem com chifres largos avermelhados nas áreas parietais do seu crânio. Apesar de bem educado era possível sentir um ar de quem estava de saco cheio do trabalho vindo dele.

O local era uma enorme mansão. Apenas o grande portão que isolava o mundo externo do grande jardim parecia pesar uma tonelada ao menos, com grades passíveis de se dar uma boa espiada para o lado de dentro mas extremamente grossas. O mordomo lhe guiaria até dentro da casa. Claro, sem antes que o enorme jardim lhe engolisse por inteiro, quase como se fosse uma selva própria formado por arbustos imponentes e grama bem cortada.

Como era noite, a única beleza local que se podia admirar eram as cores em tons sombrios que saíam por entre as janelas da mansão. Talvez naquele instante lhe passasse pela cabeça como foi convidado: Um e-mail, uma carta, talvez um esquisitão de terno chamado Larry. Não importava muito, o importante é que estava no local que prometeu uma festa épica para seus participantes, ainda que seu anfitrião nem mesmo quisesse se mostrar de antemão.

Antes de entrar na mansão, caso ainda não o tivesse feito, o mordomo faria questão de gentilmente obrigá-lo a colocar sua máscara. Afinal, aquela era uma festa anônima e privada e isso havia ficado bastante claro no convite, então só estaria ali quem realmente gostasse deste tipo de adrenalina. Abrindo a porta para que você pudesse entrar, o mordomo retirou-se.

Lá dentro, várias pessoas já se ajeitavam por algumas das áreas do enorme salão. Além das duas gigantescas escadas semi-espirais que contornavam o salão inteiro culminando em um novo andar, também havia um bar com um homem - também mascarado - preparando-se para começar a servir as bebidas, um DJ que testava suas músicas, uma grande área vazia que ficava subentendido se tratar de uma pista de dança e uma área de igual tamanho, do lado oposto do salão onde ficava o bar, repleta de mesas.

Todas elas, sem exceção, mascaradas.

mapa | notícia de referência



QUOTE (OFF)
Qualquer um pode postar, mesmo se estiver jogando em outro tópico. Tópico de post livre, sem ordem de postagem, valendo experiência e Season Points. Divirtam-se no evento. Talvez eu faça outro post no meio da festa, talvez não.
Navel Laser
Pristino
Emissão
Post #6339

Leão Rei de Olhos Prateados

... como vocês falam...

20 Anos

jogado por:

Vampsz

criado em:

23/01/2018

posts in-game:

73

Quote POST LINK May 7 2018, 06:08 PM -
Era uma noite comum como todas as outras o céu estava limpo e ao menos pela visão que Vampsz tinha da janela do carro, forçando um pouco sua visão ele conseguia ver pequeninos pontos brilhantes no céu e conseguia identificar algumas estrelas, não sabia dizer exatamente o porque de seu brilho estar tão fraco naquele céu totalmente limpido conforme passava os olhos pelo céu não conseguiu notar a Lua que certamente deveria estar lá, todavia talvez fosse pelo angulo que estava, a Transilvânia era um lugar muito conhecido pela família Sonur Stjarna, pois aquele lugar era a terra de nascimento de sua mãe.

Dentro do carro podia-se notar um elegante banco de couro preto sem ao menos uma unica mancha ou aparência de gasto, forro onde deveria ser o tapete de plastico tinha um limpo carpete, um fiel e totalmente original Roll Royce Park Ward preto, de fora ficava impossível de ver o que tinha dentro do veiculo uma vez que tinha todos os vidros totalmente insulfilmados, este veiculo se deslocava pela estrada para chegar no destino, realmente o Uber VIP tinha carros excelentes o buscou no hotel e iria deixa-lo no destino, Vampsz ia acompanhando o trajeto pelo seu Smartphone enquanto se deleitava com a bela paisagem do lugar, conforme se aproximavam era impossível de notar que seria em uma luxuosíssima mansão totalmente arborizada e quando notou já tinham percorrido ao menos duas a três quadras de distancia até encontrarem o grande portão, o motorista olhou pelo retrovisor do carro e com educação perguntou ao seu passageiro se desejava entrar para deixa-lo na porta, o convidado apenas assentiu com a cabeça, quando o carro deu a seta para entrar um dos mordomos se aproximou do veiculo, antes dele chegar a janela na qual o convidado estava sentado abaixou até a metade permitindo que fosse visto até o seu "nariz" ou ao menos o que sinalizava uma vez que foi mostrado apenas até a parte que tinha a mascara, conforme o mesmo possivelmente se aproximava o convite em papel surgiu na mesma altura sendo o suficiente para que fosse entregue ao mesmo e assim que entregue e conferido pegou de volta o papel, janela se fechou e o carro seguiu pelo caminho arborizado, assim que o carro parou em frete a entrada principal a porta do carro se abriu e Vampsz desceu do carro.

Primeiro item a se notal foi o sapato daquele homem, impecavelmente preto e lustrado, era um sapato social de aparência simples, todavia se alguém perdesse o tempo para notar em suas roupas veria que o mesmo era muito bem desenhado e um couro de primeira afinal era um produto da A. Testoni, fazendo par com aquela vestimenta feita em Qiviuk, um fraque preto com sutis, quase imperceptível linhas brancas totalmente feito sob medida para seu dono pelo famoso alfaiate Alexander Amosu Suit , as calças se alinhavam perfeitamente a demais vestimenta e nem um único fio se soltava do qualquer peça, a Sobrecasaca encaixava-se perfeitamente nos ombros de seu usuário e percorriam desta exata forma até seu pulso onde finalizava com um botão dourado abotoando a outra parte, o mesmo estava fechado, escondendo o colete que prendia sua camisa branca, destoando de toda aquelas cores neutras destacava-se dois itens, a gravata de seda perfeitamente alinhada com a abertura da camisa e o lenço feito do mesmo tecido que a gravata estava no bolso direito da Sobrecasaca.



Assim que deu os primeiros passos em direção aquela imensa residencia parou um pouco antes da escadaria que levava até a porta, levou a mão direita até sua mascara preta, que lhe cobria das maçãs do rosto e da ponta do nariz ate a metade sua testa, nessa mascara tinha alguns detalhes riscado em arabesco em baixo de seus olhos em cor dourada que destacavam os olhos vermelho de seu usuario, assim que foi ajeitada o mesmo aproveitou a altura que sua mão estava e arrumou seu cabelo tirando um pouco da franja um pouco mais comprida encaixando-a atras da orelha, para este evento Vampsz não iria poupar elegancia, até mesmo sua amada barba ele tinha feito, aquele homem tinha um aroma ao seu redor um tanto adocicado graças ao perfume Imperial Majesty que misturava uma fragrância de bergamota, cardamomo, jasmim da Índia, baunilha do Taiti.

Assim que retomou sua subida pela escadaria não demorou muito para chegar na porta onde foi recepcionado por outro mordomo que lhe soltou algumas palavras, antes de responder o mesmo sorriu educadamente para aquele funcionário que o abordava, informou-lhe que a festa em breve começaria aquele baile de mascaras, Vampsz tentava não transparecer mas estava ansioso para aquela festa, quando adentrou no hall daquela mansão notou as escadarias em ambos os lados que indicavam para um novo andar, não prestou muita atenção no que tinha acima de sua cabeça e manteve-se caminhando para o centro do Hall onde dali tomaria seu caminho, a sua esquerda algumas mesas perfeitamente arrumadas possivelmente tinha alguma indicação no convite, caminhou mais um pouco chegando próximo a pista e o palco, ainda vazio, então seu rumo foi até o Bar.

Chegando no bar, olhou para o homem que estava no bar e em seguida para o estante de garrafas que estava atras dele, habilmente observava conforme ele fazia malabarismo com os recipientes com líquidos, assim que ele notou o convidado prontamente o atendeu:

- Por favor, poderia me ver um drinque de frutas vermelhas - Assim que a bebida pegou o drinque deu um pequeno gole saboreando a mistura doce das frutas com o amargor que o alcool trazia, enquanto observava se algum rosto conhecido entrava no lugar.

Zodiark
Pristino
Transmissão
Post #6343

Troyan

Não dê sorte ao azar.

16 Anos

jogado por:

Arthalia

criado em:

20/01/2018

posts in-game:

60

Quote POST LINK May 8 2018, 12:13 AM -
Log-in!
A promessa do desconhecido
Como poderia recusar?

O lisonjeio do convite apenas para seletos, que havia causado tanto tumulto no jornal mundial, era um e-mail especial que conseguia passar pelos seus IAs de proteção e saltar aos olhos da loira em sua caixa de entrada de negócios. Atrativo, perigoso, anônimo e cheio de potencial... era a isca perfeita para uma mercenária como Troya.

E era assim que Lizzy descia da limousine na frente da mansão na Transilvânia, vestida com um típico yukata refinado com pequenas ondas douradas, que ocultava seu uniforme compacto por baixo. Os cabelos loiros estavam presos em um alto rabo de cavalo, que descia ondulado até a metade das suas costas, e seu rosto completamente oculto por uma máscara de raposa; a máscara branca com ornamentos em vermelho e dourado que ressaltavam o formato do olho puxado da máscara, com uma pequena película preta para ocultar a verdadeira cor dos olhos de sua usuária.

Sem dizer uma palavra em direção ao mordomo, era guiada para dentro da festa com uma postura impecável e as mãos ocultas dentro do yukata, como uma típica mulher oriental por mais que seus cabelos denunciassem o contrário.

Não estava ali como Lizzy, mas como Troya, e como tal, da mesma forma que em sua última experiência, não confiaria em ninguém a princípio. O anonimato significava, ao seu ver, que pessoas de todo tipo de índole haviam sido convidadas, e como tal a parcimônia era sua mulher amiga; da mesma forma, também lhe era uma excelente oportunidade.

O pensamento fazia com que um dos cantos de seus lábios se erguesse em um sorriso malicioso, e assim seguia em direção ao bar no canto mais isolado deste e se sentava.

– Sakê.

Instruiu o barman e assim recebeu uma dose servida em utensílio típico. Bebeu de uma vez, e pôs-se a observar as pessoas por ali, como se portavam e como agiam. Desejou pela bebida doce que o senhor próximo tomava, de coloração que denunciava ser o tipo de bebida que ela geralmente adoraria, mas não se atinha aquilo: se divertiria aquela noite, mas não perderia a cabeça. Voltou, assim, os olhos azuis para a pista e para as pessoas no local.

Um baile de máscaras é como um jogo.

Controlling Energy
Pristino
Emissão
Post #6349

Blue Fire

Vamos detonar em mais um lugar. 1°lugar SEMPRE.

13 Anos

jogado por:

Shino

criado em:

24/02/2018

posts in-game:

79

Quote POST LINK May 8 2018, 11:58 AM -
Estava na Espanha aproveitando um pouco das minhas férias quando recebi aquele convite exclusivo. Pouquíssimas pessoas estariam lá. Saí do meu hotel peguei um avião e fui para uma loja de artigos de festa que lá eu encontraria uma máscara, já que eu não poderia entrar na mesma se não estivesse com ela. Mas já chego na loja arrumado.

user posted image


Consigo encontrar uma de acordo com a roupa que eu estava e peço um carro para chegar a festa.

user posted image


"Que tipo de festa será essa? Quem estará lá. Pelo o menos espero música boa."

Chegando a festa pago o motorista que me fez o favor de não ficar falando muito coisas sem noção. Coloco a minha máscara e saio do carro. Quando chego na entrada da festa. Escuto um cara com dois chifres falando para mim.

???: Pode entrar, a festa está para começar

-Obrigado.

"Saí da Espanha e consegui chegar aqui antes da festa começar? Que piloto rápido. Hahaha espero pegar ele depois para voltar para o Japão."

Ao adentrar naquele local, percebo que ele é sensacional.

-Essa mansão é top. Falava baixinho somente para eu escutar.

"Vamos aproveitar."

Vou andando pela mansão para conhecer um pouco ela. Saber como estavam as coisas e se rotas de fuga caso fosse preciso. Depois vou para perto do bar para pegar um drink.(não alcoólico. E me enturmar na festa.

This post has been edited by Shino: May 8 2018, 05:04 PM

--------------------
Narração/Ação
-Fala
"Pensamento"

user posted image
Fire Generation
Pristino
Emissão
Post #6362

Squall

Ser um herói é persistir por mais um momento, quando tudo parece perdido.

18 Anos

jogado por:

Alexia

criado em:

26/02/2018

posts in-game:

50

Quote POST LINK May 8 2018, 04:34 PM -
Quem você escolherá ser?


O perfume adocicado acompanhava a silhueta da mulher que descia da limousine com uma postura imponente. A brisa noturna movia de leve os poucos fios do cabelo negro como a noite, que caíam do penteado alto preso em um coque elegante.

O vestido preto preso por uma alça em apenas um dos ombros, descia com um véu negro por sobre seu braço do lado esquerdo até o chão, e a sua frente era ornada e desenhava o corpo alvo da jovem como caules de flores negras até sua cintura, onde deixava de contornar seu corpo e caía como uma cauda de sereia, com o V das pernas transparente a partir das coxas de forma sugestiva, com os mesmos detalhes negros de caules.

O salto alto ecoava a cada passo que a dama dava enquanto seguia até o portão da mansão, onde o homem de cabelos ruivos a recebia.

Alexia sorria por baixo da máscara felina de pantera, em ornamento e estilo egípcio que remete a deusa Sekhmet que apenas deixava possível de se notar os seus lábios bem desenhados e vermelhos pelo batom, assim como os seus olhos azuis que destacavam-se pelo lápis de olho que usava.

user posted image

user posted image


- Cheguei na hora certa então. Obrigada.

Respondia de forma pólida, seguindo o caminho para a mansão e deparando-se com o enorme salão. Por dentro, era exatamente o que esperava.

Os olhos de Alexia passavam por todo o salão e pelas pessoas presentes: ninguém que conseguisse reconhecer apenas com as máscaras... com exceção da loira ao bar. Aquela, em particular, tinha um estilo que lhe era estranhamente familiar, mas também não estava ali para ser reconhecida, e com esse pensamento a heroína seguiu em direção às escadas, parando ao final desta com seu vestido ainda caído em alguns degraus.

Lá de cima, aceitava uma taça de champagne e ficava a bebericar enquanto observava o movimento do local.

Por fora, Alexia poderia parecer apenas uma dama que havia seguido para o local a fim de uma boa festa.

Mas por baixo daquela roupa, vestia um short curto de legg e um top apenas em seus seios, que seria o que utilizaria caso precisasse fugir ou lutar, em vez daquele vestido.

O convite era suspeito, e uso das máscaras para ela só mostrava que algo que não seria exatamente bem-visto aconteceria, e como heroína ela estava lá para parar aquilo se fosse necessário. Era por tal razão que pintara novamente o seu cabelo de preto, e por tal razão que ela apenas bebericava o champagne, ainda mantendo a postura de dama e o olhar superior dali de cima para todos que chegavam e se misturavam. Sua escolha de máscara não era inocente, era quem ela havia escolhido ser naquela noite.

--------------------
user posted image
Muscle Manipullation
Pristino
Transformação
Post #6371

Gato

O medo nos mantém vivos

20 Anos

jogado por:

Spacetime

criado em:

26/04/18

posts in-game:

8

Quote POST LINK May 8 2018, 05:56 PM -
Foi em uma ligação inesperada que Nicola recebeu a notícia. Um de seus monitores havia uma missão especial para ele, uma infiltração em uma festa para coleta de informações. Aparentemente algum ricaço excêntrico com ótimos contatos havia planejado um baile de máscaras para pessoas excepcionais, com Quirks notáveis, e diversos vilões da Liga haviam sido convidados por nome. Como ele havia conseguido o contato dos vilões, ou mais importante, como conhecia-os e seus Quirks com tanta exatidão era, no mínimo, preocupante. Mas vários dos convidados estavam em missões mais importantes, ou não gostavam da ideia do baile ser uma armadilha da Interpol, então muitos não iriam.

Nicola, porém, iria. Ele era um vilão pequeno, sem fama alguma, com um Quirk discreto e ainda desconhecido pela população, até mesmo entre os seus companheiros de organização. Os poucos monitores que tinham conhecimento da sua natureza sobre-humana decidiram que ele era útil o suficiente pra ir disfarçado, mas dispensável o suficiente pra não ser um grande problema caso fosse preso. Afinal, nem ficaria preso por muito tempo, já que nenhum crime estava atrelado ao seu nome. Falsificação e falsa identidade não eram assim tão graves, que um empresário não conseguiria se livrar.

Mas ele não gostava da ideia. Também pensava que poderia ser uma armadilha, mas mesmo que não fosse, haveriam dezenas - talvez centenas - de heróis ali. Era um ambiente extremamente volátil e imprevisível, por sorte, teria sua companheira consigo. Oboro também tinha um Quirk deveras discreto, e habilidades sociais que rivalizavam até mesmo as vantagens que o Quirk de Nicola o dava. Seriam uma dupla excelente para a missão teoricamente simples de observação. A Liga parecia estar apenas interessada em saber o que ia acontecer naquela noite, então a coisa mais importante seria fazer amizade com pessoas de nota, para ter certeza de que não perderiam nada.


- Entende? Iremos juntos, mas assim que a festa estiver começando a esquentar, creio que deveríamos nos separar e tentar adentrar outros grupos. O principal é que não fiquemos juntos todo o tempo, assim vamos ter uma experiência conjunta mais completa do evento. - Falava sério, quase num tom preocupado, coisa que Inahime não estava acostumada a ouvir. Passava a impressão para a colega de crime que, daquela vez, ele realmente não tinha controle algum sobre a situação... E isso o incomodava. Percebendo sua gafe, Nicola tratou de sorrir e abrir o champagne que repousava no frigobar da limousine. - E claro, se divirta. É uma festa, afinal, minha bela parceira. - O som da rolha escapando violentamente da boca da garrafa abafou o das sirenes ao redor por um instante. Haviam pousado na Transilvânia havia menos de 3 horas, mas já se sentia observado, perseguido. Talvez pelos vampiros das estórias...?

Ao fim do pequeno passeio de carro, chegaram ao imponente portão da mansão, onde teriam de descer do automóvel. Nicola deu uma piscadela para a belíssima dama que o acompanhava e vestiu sua máscara, complementando seu traje formal. Cumprimentou o mordomo e deixou que ele o acompanhasse até a entrada, onde teve de mostrar seu convite e se passar por Jean-Claude Mastiff, o vilão conhecido como Wardog, com o exímio Quirk de transformação em uma criatura humano-lupina de extremas capacidades físicas. Ao entrar, de braços dados com Inahime, no salão principal, Nicola foi golpeado por uma música horrorosa e luzes extravagantes. Imediatamente fez uma careta, completamente oculta pela máscara, e suspirou.


- Será uma noite longa, querida. Se importa de reservar uma mesa pra gente? Vou pegar alguns drinques. - E deu alguns tapinhas na mão dela, que segurava com carinho no seu braço. Olhou e viu que deviam ter chego cedo, poucas pessoas estavam ali, e todas pareciam querer começar a beber logo pra - talvez - passar a noite bem. Se sentiu um pouco inseguro de conversar com elas, então apenas foi ao bar fazer seus pedidos.

This post has been edited by Spacetime: May 8 2018, 05:58 PM
Nightmare
Pristino
Emissão
Post #6378

Chiyo Sakamoto

(Anyanka Vodianova)

20+ Anos

jogado por:

Chiyo

criado em:

09/03/2018

posts in-game:

32

Quote POST LINK May 8 2018, 06:35 PM -
Uma reunião de lobos ao luar. E em cenário propício. A Transilvânia não seria seu primeiro destino de escolha, mas havia interesses que a levavam a aceitar aquele convite. Não apenas porque poderia ser uma forma de obter informações quanto à substância que buscava replicar, mas também porque poderia ser - e por que não? - até divertido.

Apesar das posses incomuns para uma professora primária, Chiyo ateve-se a escolhas mais seguras e confortáveis. O baile exigia o uso de máscaras, e ela desenterrou o corpete hipercinturado e o tutu de "O Lago dos Cisnes", prendendo os cabelos em um coque elaborado e enfeitado por plumas brancas. A máscara delicada, em arabescos metálicos, coroava a pureza de suas vestes, em plumas e pérolas, rebuscada e clássica. Encaixou uma anágua de tule por baixo do tutu, que tornava a roupa uma espécie de vestido curto de bailarina, sem subtrair a leveza ao mesmo tempo em que escondia melhor seu quadril e a parte superior das coxas. Imaginou que as mulheres usariam longos glamourosos, mas... Chiyo não se deixava intimidar a ponto de gastar diamantes por um vestido.

Encaixou os pés em uma sapatilha e sorriu para si mesma. Não era um baile à fantasia, então teve a preocupação de não usar pontas ou uma maquiagem artística de Cisne Branco, mas sentia-se radicalmente confortável em seu corpete impossivelmente apertado - o que demonstrava nos sorrisos fáceis que escapavam à menor provocação.

Antes mesmo que ultrapassasse a soleira das portas imponentes, desfez o coque, deixando os cabelos negros cascatearem até a linha do quadril. Prendeu as plumas na lateral da cabeça e ganhou o salão, sem maiores expectativas, vez que ainda era muito cedo para encontrar conhecidos.

Os olhos cor-de-mel eram bastante visíveis, mesmo à distância, com uma espécie de luz quente, avermelhada e magmática a animá-los em uma dança lenta. A máscara metálica, em finos arabescos, parecia atrair ainda mais atenção para o rosto da mulher, ao invés de desviá-la. Os cílios longos formavam uma sombra sobre o olhar da bailarina enquanto cruzava o salão, seus passinhos delicados de quem quase dançava, indo em direção ao bar.

Viu as pessoas já meio reunidas por ali, seus drinks e doses nas mãos, os olhos de variadas cores esquadrinhando os arredores. Todos, no fundo, temiam. Em um mundo de quirks somente um tolo não temeria. Escorou-se ao balcão e sorriu para o bartender:

- Um Martini Royale, por favor. Bianco. - sorriu e escorou-se de costas, olhando para os lados quase preguiçosamente enquanto mantinha aquele ar amistoso tão pitoresco.

Será que era proibido fazer uso de quirks ali, como um Elysium? Ou em algum momento o show de horrores irromperia da multidão mascarada? Era questão de tempo, afinal...
Deo Virtus
Pristino
Emissão
Post #6381

Greenhouse

Anos

jogado por:

Blumer

criado em:

12/03/2018

posts in-game:

11

Quote POST LINK May 8 2018, 06:58 PM -
Eu estava acabando de me arrumar, pois tinha recebido um convite para uma festa de máscaras. Famoso baile de máscaras.

user posted image


Mas só iria colocar a máscara próximo ao local. De qualquer forma eu estava aproveitando o local, era a primeira vez ali, não era o destino inicial de uma viagem a lazer, mas acabou ali e o que poderia acontecer de uma boa noitada? Somente boas histórias. Com isso em mente iria aproveitar tudo daquele local. Como não conheço o local vou chamar um uber para me levar lá, já que não fazia ideia de como chegar lá.

"Vamos aproveitar a noite."

Enquanto estava a caminho do local me surpreendo com a vista pois quando peguei o carro ainda estava uma noite deixando de ser tarde. Já havia passado o por do sol, mas ainda estava um pouco claro, mas quando chego no local da festa já estava escuro. Pago o motorista, coloco a máscara, saio do carro e dou de cara com um chifrudo.

user posted image


???: Pode entrar, a festa está para começar.

-Muito obrigado.

"Ele nem perguntou quem eu era. Ou a segurança daqui é absurda ou eles não estão nem aí para quem está entrando. Bom vamos que vamos."

Passo por um local lindo demais que dá vontade de apreciar um pouco o local, mas tinha uma festa para de ir então continuou andando. Ao chegar lá percebo que já tinham outras pessoas no ambiente. Vou direto para o bar, pego uma bebida e começo a andar pelo local nessa andança para conhecer o local vejo que tem uma pessoa com o mesmo porte físico que meu irmão, mesmo cabelo, mesmo estilo de roupa, deduzi que fosse ele, mas como em toda festa como essa espero ele me identificar na multidão faço um aceno para ele com a cabeça, bem discreto e vou para o segundo andar para ficar por lá. Era melhor os dois separados para conseguir tudo aquilo que queriam. Nenhum dos dois precisava de ajuda com relação a festa então estava liberados e tranquilos. Esperando para ver no que ia dar aquela festa.
Gás manipulation
Superior
Emissão
Post #6383

Solaris

PRAISE THE SUN

25 Anos

jogado por:

DinoSour

criado em:

11/03/2018

posts in-game:

11

Quote POST LINK May 8 2018, 08:53 PM -
Não era surpresa alguma que um evento de tal magnanimidade teria entre seus convidados a Família Fortunato. Assim como seus pais, Stella havia recebido o convite embrulhado em um envelope dourado com os nomes escritos caprichosamente à mão. Porém, somente um membro do império Fortunato daria o ar da graça. A única e legítima herdeira, Stella. No convite, apenas uma exigência: uma máscara. A condição intrigante resultou em uma enorme curiosidade na modelo. Acostumada com os famosos Carnavales di Venezia, inspirou seus trajes no evento italiano mundialmente conhecido.

A máscara em estilo clássico, branca como marfim com os lábios pintados de negro. Uma enorme borboleta dourada tomava forma ao redor dos olhos, adornada por arabescos complexos, porém delicados. Do topo da testa saía um chifre escuro como ônix, sua base contornada de dourado. A possibilidade dos detalhes serem em ouro puro não era pouca, dado a extravagância excessiva de Stella em eventos como aquele.

Pendendo do chifre, uma cruz presa em um terço que adornava os cabelos. Estes colorizados em um rosa algodão-doce, dando mais um toque fantasioso ao conjunto. Os brincos de cruzes douradas, pesados, combinavam com o que pendia do chifre. O antônimo criado entre a cruz e o chifre, o bem e o mal, era uma constante. Um anjo? Ou um demônio?

user posted image

O resto da roupa seguia a lógica da máscara e seus detalhes. Branco, preto, dourado. Contraste. Chiaroscuro. Os olhos escondidos pelas sombras pretas projetadas em seu rosto pálido, apenas vez ou outra era possível ver o brilho escarlate pelos dois orifícios entalhados na máscara alva.

Seu motorista, Callistus, abriu a porta da limusine preta alugada para que a modelo pudesse sair sem mais delongas, sendo recepcionada prontamente pelo mordomo. Visto que Stella estava de acordo com o traje exigido, pôde entrar sem problemas. A mansão era bela e gigantesca. Talvez fosse até mesmo maior do que a mansão do patriarca da Família Fortunato. As luzes tremulavam enquanto trespassavam os vidros das enormes janelas. Lembrava uma catedral antiga.

O salão estava movimentando, vários convidados já haviam chegado. Apesar da premissa interessante para a “celebração”, Stella não era estúpida. Herdeira de um dos maiores conglomerados de energia do mundo, sempre fora alvo de ataques e atentados desde a infância. Nem sempre a loira era o foco, mas estar presente no mesmo local do que líderes famosos resultava estar no meio da confusão vez ou outra. Portanto, aproveitando a temática do baile, resolvera fazer-se o mais irreconhecível possível. A máscara escondia completamente todas suas feições, e o cabelo colorizado apagava uma de suas marcas registradas: os longos cabelos de cascata dourada.

Apesar da alta possibilidade de ser uma armadilha, também era uma ótima oportunidade de fazer contatos e negócios. Era por esse motivo que seu pai a enviara em seu lugar. O tamanho do vasto salão não surpreendia Stella, que apenas dirigiu-se calmamente em direção ao bar.

This post has been edited by DinoSour: May 8 2018, 08:59 PM

--------------------
Luz Divina
Superior
Emissão
Post #6390

Leão Rei de Olhos Prateados

... como vocês falam...

20 Anos

jogado por:

Vampsz

criado em:

23/01/2018

posts in-game:

73

Quote POST LINK May 9 2018, 01:44 AM -
Vampsz se mantinha encostado com sua bebida nas mãos, entre alguns momentos trocava de uma mão para a outra evitando o gelado que ela emitia, no segundo que se virou para colocar sua bebida no balcão para descansar a mão, esse meio tempo que não durou mais que algumas frações de segundo notou um cheiro nostálgico e familiar, vindo do fundo de sua mente e Rigardo a entidade leonina que se abrigava de seu amago que reconhecerá e em algo totalmente interno entre e suas entidades indicou que ao seu lado tinha alguém conhecido, a garota com a mascara de um kitsune branco possivelmente, quando se virou pode ter uma certa certeza ao observar aquele cabelo loiro, era Lizzy ou possivelmente era, ele pegou seu copo de volta e se aproximou da garota loira, a olhou medindo dos pés a cabeça, era a primeira vez que ele via alguém de yukata e de fato era uma vestimenta muito bonita e caia bem naquela menina, ele sorriu para ela, obvio que ela não o reconheceria de bate pronto, com um gesto singelo para que ela pudesse lembrar, o mascarado mudou a cor de seus olhos de vermelho para prateado por alguns segundo feito isso, ele encostou ao lado dela mantendo os olhos voltado para o salão

- Ora, ora, ora ainda uma pequena raposa que gosta de doces - Ele continuava sorrindo para aquela mocinha enquanto estendia o copo caso ela quisesse servi-se da mesma - Onde esta sua querida bruxinha ? -
(@Arthallia)

Enquanto aguardava a resposta de sua conhecida, notou por alguns segundo um garota que se assemelhava a uma bailarina saída diretamente do Lago do Cisnes, de fato seus olhos chamavam muito mais atenção que sua mascara ou sua roupa tão perfeitamente branca que com a luz dançante ao seu redor a fazia ter um leve brilh, por alguns segundo aquele homem deve a sensação que o vermelho de seus olhos se misturavam a aquela cor de âmbar que aquela dama possuía, sentiu-se um tanto entorpecido enquanto a observava e quiça seus olhos se encontrariam, conforme ela se aproximava riu achando um pouco meigo como ela caminhava, cada passo dela fosse uma dança delicada até o bar, ouviu por pura curiosidade o que ela pedia seu drinque, de fato um Royale Bianco era uma escolha de primeira qualidade, enquanto se mantinha ao lado de sua amiga virou apenas o rosto para a bailarina e lançou um singelo sorriso e comentou misturando um pequeno flerte com um elogio referente a escolha da bebida e a roupa que ela usava

- Uma escolha excelente, Tchaikovsky se orgulharia - Manteve o sorriso e o olhar gentil no rosto enquanto levava a mão direita tirando um pouco de seu cabelo do rosto

(@Chiyo)


Aquela noite seria cheia, deixando o olhar se voltar para a entrada notou um casal que adentrava no recinto, ele observou o casal que tinha a dama direcionada para a mesa enquanto o cavalheiro ia em direção ao bar, não falou absolutamente nada com aqueles que estavam presente, estava claro que não era falta de educação, apenas não era tão corriqueiro cumprimentar alguém que não conhecia, mas Vampsz não se importou com isso, conforme aquele rapaz se aproxima o cumprimentou com um breve movimento com a cabeça representando uma sutil reverencia, deixando claro que era um educado "Boa Noite"


Existia algumas pessoas novas, e para não criar um rodinha de "oi's" apenas deixou que algumas passassem evitando assim o tumulto, claramente uma dessas pessoas seria impossível passar despercebida por uma serie de motivos os principais era a exuberância de sua vestimenta que mistura um "Q" de dourado e Preto, a roupa lembrava um Pierrot, a mascara cobria totalmente o rosto daquela mulher de cabelos coloridos até o momento alem das luzes era a unica que vestia roupas tão chamativas, a mediu por alguns segundo, diferente da primeira sensação onde Rigardo reconheceu a moça ao seu lado a atual situação fazia Vampsz se lembrar do cheiro quando esteve no Brasil, da mesma forma intima que conversou com sua entidade caçadora permitiu que ele sentisse o cheiro no lugar dele, essa troca novamente permitiu que seus olhos ficassem prateados, aquele par de olhos frios não esboçavam sentimento nenhum, afinal Rigardo não a conhecia, existe uma grande diferença quando um animal predador sente um cheiro e quando ele reconhece um cheiro e não sabia precisar, a mistura do perfume o deixou em duvida e então concluiu não reconhecer aquela moça, seus olhos voltaram ao vermelho profundo enquanto o dono original do corpo tomava as rédeas totalmente, feito a pequena analise voltou seu olhar para a porta afim de reconhecer mais alguém.

Zodiark
Pristino
Transmissão
Post #6404

Oboro

21 Anos

jogado por:

Sgt. Hammer

criado em:

posts in-game:

10

Quote POST LINK May 9 2018, 05:33 PM -
Poisonous Snake
Pensava consigo mesma porque era sempre ela quem acabava do lado daquele menino? Certamente já tinha sido preparada para aguentar diversos tipos de tortura, mas a Liga parecia querer desafiar o limite dela colocando-a constantemente junto de Gato. Ainda mais em um baile que, mais do que qualquer coisa, parecia uma grande armadilha. o que não a incomodava o tanto quanto deveria, pra falar a verdade. Estava acostumada a estar no tabuleiro como uma peça de "Peão" ao invés de uma mais importante "Rainha" ou outra peça de maior valor.

Uma das pouquíssimas vantagens de estar emparelhada com aquele menino era o dinheiro: certamente fazia os trammits de deslocamento muito mais fácil. Em pouco tempo estavam em um jatinho particular saindo de Tokyo e indo até o fundo da Europa, em uma terra que era famosa por vampiros e contos de terror, a Transilvânia. Ainda que estivesse na Europa, e que estivesse completamente ciente que se tratava de uma festa de gala, não tinha interesse algum em esconder ou deixar de prestigiar a rica cultura da sua terra natal, o Japão. Chegou vestida para o baile no jatinho particular com um elegante kimono de seda vermelha. Seu cabelo preso num coque duplo, com uma agulha prendendo-o de forma que o penteado não desmoronasse. Vinha com um leque em mãos e uma máscara negra no seu rosto, que diferente do seu uniforme de Oboro, tampava apenas seus olhos, uma máscara sutil, que não escondia a beleza dela de forma alguma.


(Finja que a cor de cabelo é a mesma)

A viagem foi inesperadamente silenciosa, geralmente ela precisava ficar mais tempo discutindo, ignorando ou saciando a vontade de Gato em provocá-la. Mas dessa vez interagiram pouco, talvez ele estivesse finalmente levando algo a sério? Talvez apenas estivesse apreciando a beleza de Inahime? Tudo isso era irrelevante, a única coisa que importava de verdade era a missão, sempre fora para Inahime. Assim como o Gato, ela também tinha um "disfarce", ou um convite em nome de outro vilão da Liga que não quis se arriscar nesse baile. Se o Gato era Jean-Claude Mastiff, o Wardog. Então Inahime era Fuyuko Ayaka, a vilã conhecida como "Arachna". Era um pouco estranho ter disfarces em um baile onde todos já estavam mascarados, mas estar por baixo de diversas camadas de disfarces era uma forma de segurança para Inahime, no fundo sua identidade era irrelevante, era uma ninguém.

-É uma festa, claro, mas nós ainda estamos aqui para conseguir informação. Se alguém perguntar, somos um casal, não se esqueça.

Ser um casal com o Gato? Era uma ideia no mínimo nauseante para Inahime, mas como tinham chegado juntos, de braços dados, era mais plausível que se passassem como tal. Se separaram logo em um primeiro momento: Gato foi até o bar enquanto ela procurou uma mesa vazia para sentar-se educadamente. Percebia logo de cara que chamava atenção só pela escolha de visual, o que já esperava. A maioria das pessoas parecia vestida para um baile europeu, afinal, estavam na Europa. Ela era a única vestida com roupas tradicionais, mas que não deixavam de ser elegantes. As outras mulheres todas pareciam rainhas vitorianas ou inspiradas em Maria Antonieta, enquanto ela mantinha-se firme nas suas raízes japonesas. Chamava atenção, mas não necessariamente de uma forma ruim, esperava.

Enquanto seu parceiro dialogava com as pessoas no bar, começando uma interação direta, Inahime tinha uma aproximação mais lenta e metódica, como uma cobra se preparando para o bote, o que era deveras adequado considerando o quirk dela. Mesmo que estivesse naquele baile como uma membra da Liga dos Vilões e adquirindo informação para essa organização, sabia que pessoas de todo lugar haviam sido convidadas, talvez até mesmo alguém do seu antigo clã. Era uma chance de conseguir informação relevante para ela à nível pessoal, um dos maiores motivos de aceitar um convite para um baile com o Gato, tinha que admitir.

Não falava com ninguém em um primeiro momento, apenas lançava olhares para os outros homens e mulheres da festa. Tentava manter contato visual de propósito: olhos nos olhos. Sabia que isso era uma forma de levantar interesse nas outras pessoas, um dos passos no jogo da sedução, ou do flerte, que também era uma ferramenta importantíssima para adquirir informação. Ainda que a personalidade real de Inahime fosse mais gelada que o inverno siberiano, fingia bem o suficiente para fazer esse jogo interessante. No fim, nada mais era do que preparar gatilhos que desencadeavam reações e interesses na outra pessoa. Embora não tivesse um alvo específico com seus olhares e sorrisos indiscriminatórios, estava disposta a interagir com qualquer pessoa corajosa o suficiente para aceitar o convite de flerte dela. Podiam ser um casal no papel, mas ela não devia fidelidade alguma com o Gato também.

Ikaruga Inahime
Dokuninpou
Pristino
Emissão
Post #6423

Troyan

Não dê sorte ao azar.

16 Anos

jogado por:

Arthalia

criado em:

20/01/2018

posts in-game:

60

Quote POST LINK May 9 2018, 07:37 PM -
Log-in!
A promessa do desconhecido
Pouco a pouco...

Os demais convidados chegavam. Com os olhos afiados como os da máscara de raposa que usava, Troya acompanhava a postura defensiva e as pequenas estratégias que eram tomadas pelas pessoas assim que adentravam a mansão: Um casal se separava e cobria espaço; outros desajustados iam até o bar beber para despistar ou para se divertir; alguns simplesmente brilhavam chamando a atenção, como a mulher com máscara egípcia e vestido negro, a de máscara veneziana e a semelhante em vestimentas típicas orientais.

Sua máscara escondeu um sorriso travesso, eram todas chamativas e visivelmente estavam ali para brilhar. Succubus aos seus olhos, não via nenhuma como alguém que não estivesse ali para proveito próprio. Mas era baboseira pensar assim, certo? Todos estavam ali para algo assim, duvidava que alguém viria apenas para divertir-se. Todos esperavam por... algo. Os olhos azuis da loira encararam sem desviar os da mulher com vestimenta oriental, deslizando no final de forma divertida para o balcão, apenas para notar que o homem, que assim como ela havia chegado mais cedo, se aproximara.

A loira ergueu um pouco a cabeça em surpresa ao ver a alteração na tonalidade dos olhos do mesmo, peculiaridade que havia visto uma vez a não tanto tempo atrás... na África. Riu baixinho de forma delicada, pegando o drink que ele oferecia-lhe e colocando um canudo, tomando-o sem tirar a máscara. Divertia-se com a coincidência, mas não deveria ficar tão surpresa. Vampsz, assim como ela, havia sido procurado antes, então era claro que ambos estariam em ciclos semelhantes.

- Ela me encantou e voo para longe, me resta agora apenas desvendar como o leão desvendou essa kitsune. - Empurrou o drink de volta para o conhecido, havia o aceitado não apenas porque desejava, mas como uma forma de mostrar que não pretendia estender muito a conversa: a identidade era importante.

Troya ergueu o rosto olhando para a mulher ao alto da escada, como se aguardasse por alguém. Riu e pensou que iria até lá se não estivesse ali à negócios, voltando-se a observar o movimento mais uma vez, pacientemente.

- Me diz... o que um homem como você busca aqui? - Disse em um tom baixo apenas para ambos, enquanto tinha a cabeça abaixada o suficiente e olhava em outra direção, antes de ergueu os olhos azuis para Vampsz mais uma vez, olhando-o enfaticamente, mesmo que não fosse possível notar devido a pequena tela preta que escondia sua íris.

Aquela súbita curiosidade a acometida. Não sabia também o que ele estava fazendo na África, pareceu algo como "em busca da justiça", mas ali estava ele em um baile de moral duvidosa; qual era, realmente, a dele? Eram apenas impulsos de suas outras personalidades? Ou havia algo realmente ali? Era visível que ela não pretendia desviar o olhar.

Um baile de máscaras é como um jogo.


This post has been edited by Arthalia: May 9 2018, 07:39 PM
Controlling Energy
Pristino
Emissão
Post #6429

Chiyo Sakamoto

(Anyanka Vodianova)

20+ Anos

jogado por:

Chiyo

criado em:

09/03/2018

posts in-game:

32

Quote POST LINK May 9 2018, 08:00 PM -
Chiyo bebericou seu drink e assentiu graciosamente ao cumprimento do homem de olhos vermelhos, um sorrisinho travesso brincando nos lábios pequenos da jovem. Vendo que ele engajava uma conversa com uma mulher interessante, não fez mais que esse pequeno gesto, para não atravessar-se na interlocução do par. Entretanto, deslizou os olhos luminescentes pelas feições do sujeito com o devido vagar, como se desejasse que ficasse claro para ele que estava apreendendo seus traços o mais que a máscara permitia.

Ficou impressionada com a aproximação da mulher-unicórnio-católico. Certamente não seria exagero dizer que havia imponência caminhando pelo salão naquele momento. Sorriu de si para si, admirando a moça de cabelos cor-de-rosa pisar sobre o mundo. Gostava daquela atitude altiva. Porém, aquele era exatamente o tipo de pessoa de quem ninguém deveria se aproximar como um franco-atirador, a menos que soubesse com quem estava lidando de antemão - o que as máscaras dificultavam extremamente.

Havia mais e mais pessoas a cada instante no salão de baile, casais e moças sozinhas, em sua maioria. Chiyo, suave como se flutuasse, em passinhos mágicos de voo de bola de sabão, começou a circular vagarosamente pelo local. Seus olhos buscavam as prováveis saídas, os acessos, a posição de móveis e adornos que pudessem servir como arma ou escudo. E também fitavam as pessoas, lindas e orgulhosas em suas roupas de baile, cintilantes estrelas na noite da Valáquia.

Ah!, os ares dos Cárpatos! As montanhas de raízes profundas erguendo-se desafiadoras contra os céus, enquanto os meros mortais - ainda que preenchidos por quirks fantásticas - dançavam coreografias absurdas e revolucionárias pela vida. Calculou quantos daqueles olhos que cruzou pertenceriam a vilões, quantos a heróis. A ínfima porcentagem de civis de pouca monta como ela.

Escorou-se languidamente contra uma janela, do outro lado do salão em relação ao bar. As luzes fantasmagóricas da noite lançavam um brilho espectral sobre suas vestes brancas, enquanto os olhos magmáticos devoravam a já não tão pequena audiência presente.
Deo Virtus
Pristino
Emissão
Post #6431

Prizrak

Equilíbrio é a verdadeira força.

69 Anos

jogado por:

Kaeshi

criado em:

26/04/2018

posts in-game:

11

Quote POST LINK May 9 2018, 10:14 PM -
user posted image


Kaeshi era bem mais alto do que a média ali. De um jeito que incomodaria se ele já não estivesse tão... saturado de... tudo. Naquela idade e principalmente dada sua idade mental ele havia deixado de lado detalhes que normalmente incomodariam pessoas. Algo que ele chamaria de first world problems, como a música de um artista venerado por suas sátiras um dia disse. A sua máscara era simples, mas seu terno era elegante o bastante para cativar atenção de uma ou outra pessoa. Nada que competisse com algumas pessoas ao redor; não se via tão atraente quanto alguns homens ali, ou mulheres com curvas perfeitas e posturas ainda mais aparentes.

Havia sido convidado, claro. Por razões às quais não valeria a pena comentar naquele momento. Curvou-se educadamente frente ao homem com os chifres e levou a mão ao peito da maneira mais calma e solente, natural do monge. Apesar disso, o terno negro com detalhes coloridos no topo, os brincos e a máscara não lhe davam o devido visual de sábio da montanha que alguém esperaria caso o conhecesse. Estava com uma missão em mente. Não que desaprovasse pequenos momentos de descontração... mas aquelas pessoas pareciam na maioria das vezes tão fora da realidade... tão presas em assuntos e coisas passáveis.

Não bebeu e nem comeu nada até ali. Estava sem fome e sem sede. O jejum não seria algo novo na vida dele, e especialmente se tratando de apenas duas horas desde que comeu. Passou ao lado de um homem deveras barulhento e depois de uma mulher quase que elegante demais para o evento, se é que aquilo era possível. Mas estava observando as máscaras, procurando por uma maneira de rastrear a pessoa com a qual havia marcado aquele encontro em específico. Havia mandado aquela mensagem, com a sua descrição. E havia recebido a dela também, suas vestes e sua máscara. Mas ainda assim, levou algum tempo. Pensou que chegar relativamente cedo fosse o bastante, mas estava enganado, aparentemente.

"O Lago dos Cisnes". Realmente, aquela jovem tinha uma aptidão icônica de representação, pelo visto. O coque, as plumas e a máscara com arabescos mais engravados do que a dele. Não encontraria outra pessoa exatamente com a mesma descrição, encontraria? E também não via razões para que ela mentisse, se queria tanto marcar uma pequena reunião. No pior das hipóteses, ele faria o que sempre se dispôs a fazer quando algo dava errado no final do dia; erguer-se e tranquilamente ir embora. É claro, essa era uma projeção ideal. Infelizmente ele era geralmente comprometido a fazer o que julgava correto. O que acabava por lhe dar grandes problemas.

Depois de algum tempo... próxima a uma janela. Ali estava ela, parecendo mais parte de uma grande peça do que uma convidada. O corpo pequeno e aparentemente frágil - que ele aprendera a nunca julgar pela imagem - e a pele morena que se mostrava por trás daquela postura tão... livre e musical. Dobrou levemente a boca em um pequeno sorriso satisfatório. Não vira qualquer outra pessoa que se encaixava naqueles detalhes e tinha esperanças de que ela reconhecesse os dele também, pelos brincos e golas coloridas de sua veste.

Contornou pelas pessoas como um fantasma, as mãos enluvadas vez ou outra fazendo pequenos gestos de licença educados em sua rota para a janela. Ainda assim, levou algum tempo e chegou até Chiyo. Parou-se um metro e meio frente à mesma e se curvou de maneira educada. - Com sua licença, madame. Estou aqui por coincidência, ou por destino? - Sua voz era equilibrada, grave, pacífica e parecia sibilar com um ritmo invisível que lhe dava o ar... sábio. Ainda assim os contornos do rosto e a postura eram de alguém muito formal ainda que jovem.

Quanto a ela... bom, havia deixado sua impressão clara e sua presença também. O médico não estava assustado ou contrariado - como quase nunca estaria - mas havia aprendido a dar um pequeno pedaço maior de respeito original a qualquer pessoa que se destacava daquela maneira.
Healing Container
Superior
Mutação
Post #6435

"Quer ver minha quirk? Bom, eu posso mostrar...."

Anos

jogado por:

Robin

criado em:

03/03/2018

posts in-game:

13

Quote POST LINK May 10 2018, 03:18 AM -
Ela escutou o barulho do baile bem antes da mansão aparecer diante de seus olhos. Por costume ela evitava lugares barulhentos, mas tinha que admitir que eram os melhores para se alimentar de forma discreta. Algumas mãos bobas pelos convidados, um leve toque no braço para guiar alguém para fora do caminho e um roçar na pele e tinha energia para a semana inteira.

A mascara escolha não tinha nada de dócil. Os chifres vermelhos erguidos bem acima da cabeça e a "juba" que saía por todos os tempos dava uma volta completa em sua cabeça escondendo as orelhas pontudas, os cabelos largos e uma parte das costas. Descendo em cascadas pelos ombros, em frente aos peitos e roçando-se de leve em sua bochecha. A expressão gélida impressa em sua mascara refletia um pouco como Robin se sentia naquela noite.



Não tinha ido para se alimentar ou seduzir uma alma perdida. Seus passos a guiaram até ali pela mera curiosidade. O post no jornal não tinha passado desapercebido e ela se perguntava que tipo de rico excêntrico daria uma festa como aquelas em sua mansão. Estava com as suas habituais luvas e uma camisa manga larga descia até o pulso. Tinha também uma calça de couro colada e longas botas cujo cano alto contornavam suas pernas até os joelhos. Os olhos estreitos por trás da mascara vasculhavam os convidados com uma expressão de tédio que não deixava transparecer devido ao ornamento.

Usando a audição aguçada natural ela capital as fofocas através dos sussurros tentando ignorar, a medida do possível, o barulho da banda que tocava ao fundo. Ficando longe das caixas de som. Passou por um casal e sua mão deslizou pela bunda do homem (@Kaeshi) - afinal, porque não? - de uma maneira tão sutil que ficava difícil dizer se tinha sido Robin ou qualquer outro dos convidados. Ela não olhou para trás, nem fez questão de parar no caminho enquanto se dirigia a parede mais distante. Longe da multidão e da música alta. Tinha pegado a mania de trazer consigo tampões de algodão que pretendia colocar assim que tivesse um tempinho.
Life Steal
Pristino
Mutação
Post #6437
0 User(s) are reading this topic (0 Guests and 0 Anonymous Users)
0 Members:

OPÇÕES DE TÓPICO
Pages: (5) 1 2 3 ... Last »
RESPONDER
NOVO TÓPICO
NOVA ENQUETE


 


 


O Hero Academia RPG é um RPG baseado em Boku no Hero Academia, obra criada por Kōhei Horikoshi. O fórum não possui fins lucrativos.
Custom Structures e buttons por Tigris. Imagens por artistas do Pixiv, Deviantart e Zerochan.